quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

A Grande Muralha


Épico de ação A Grande Muralha (The Great Wall, China/EUA, 2016), de Zhang Yimou não impressiona o tanto que deveria, mas entrega um resultado honesto em sua proposta fílmica. Não podemos negar a influência da bilheteria chinesa nos cinemas, de modo que muitas produções já são realizadas pensando no mercado chinês. O filme é provavelmente a maior produção em todos os tempos filmada inteiramente na China, além de ser um dos mais caros filmes chineses já feitos. Um legítimo Blockbuster chinês.

O filme se passa no século XV, mostrando um grupo de soldados britânicos que está combatendo na China, e agindo como mercenários à procura do pó preto, a pólvora, quando se deparam com o início das construções da Grande Muralha. Aos poucos, eles percebem que o intuito não é apenas proteger a população do inimigo mongol e que a construção esconde na verdade um grande segredo.

Protagonizado por Matt Damon que tem o carisma necessário para uma produção deste porte e com direção de Zhan Yimou o mesmo de Herói (Hero, 2002) e O Clã das Adagas Voadoras (House of Flying Daggers, 2004), contando uma história de honra que se passa na estrutura mais icônica do mundo. Questões envolvendo sacrifício e a disciplina oriental também compõem o pano de fundo do longa, que indiretamente diz que um soldado ocidental sozinho é tão ou mais competente que um batalhão chinês.

O elenco conta com nomes como Jing Tian, Pedro Pascal, Willem Dafoe e Andy Lau, que não se destacam, mas cumprem seu papel. O filme conta com diversos efeitos, muitos deles em 3D, que embora não sejam necessários, dá certa profundidade em algumas cenas, especialmente quando flechas são lançadas nos inimigos, os monstros fantasiosos que tiram um pouco da realidade do longa.

Confira o trailer de A Grande Muralha:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Isso! Comente! Faça um blogueiro feliz!

Compartilhar