terça-feira, 28 de março de 2017

Fragmentado


Suspense Fragmentado (Split, EUA, 2016), de M. Night Shyamalan se mostra pretensioso, e incapaz de atingir seu objetivo de impactar a plateia (embora agrade os fãs de seus trabalhos anteriores). É fato que o escritor, diretor e produtor de O Sexto Sentido, Sinais, A Vila, Corpo Fechado (só para citar alguns) tem melhorado na tentativa de retornar ao estilo que o consagrou: o suspense. Mas ainda traz consigo resquícios das bombas que foram alguns de seus últimos filmes (O Último Mestre do Ar, Fim Dos Tempos, Depois da Terra)

A sinopse e o poster fala sobre Kevin (James McAvoy) que possui 23 personalidades e alterna momentos de sua vida entre cada uma delas. Essa descoberta, é motivo de orgulho para a psicóloga de sua confiança, Dr. Fletcher (Betty Buckley), que tenta divulgar ao mundo a existência de pessoas com essa habilidade. Acontece que ainda existe uma 24ª personalidade, que está tentando surgir e dominar todas as outras. Kevin se vê então forçado a sequestrar três garotas, uma delas a observadora Casey (Anya Taylor-Joy). Assim, Kevin se vê em um conflito interno de personalidade pela sobrevivência entre todos os outros "seres" dentro dele.

Confesso que não vi Corpo Fechado (Unbreakable, 2000) e pelo que dizem, esse filme acaba sendo uma continuação, embora isso não tenha sido divulgado e acabe sendo a grande surpresa, tradicional nos finais dos filmes do Shyamalan, embora a meu ver aqui o impacto causado seja pequeno. A questão do distúrbio de personalidade é o ponto central do suspense e James McAvoy faz um trabalho louvável interpretando várias personalidades. O filme aborda também, ainda que de forma sensível a questão do estupro de vulnerável. Poderia ter aprofundado um pouco melhor essa questão. Anya Taylor-Joy não mostra o mesmo nível de atuação apresentado em A Bruxa (The Witch, 2015) de Robert Eggers, mas não está ruim.

O  thriller é original e se desenvolve em torno da mente fraturada e brilhante de um homem com transtorno dissociativo de identidade, que possui a divisão mental, fascinando estudiosos que acreditam que alguns podem manifestar atributos físicos únicos para cada personalidade, sob um prisma psicológico e cognitivo num mesmo ser humano.

Depois de A Visita (2015), que achei um filme bobo, mas que agradou a crítica, Shyamalan se une novamente ao produtor Jason Blum (Atividade Paranormal, Uma Noite de Crime e da série de filmes Sobrenatural)

Veja trailer de Fragmentado:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Isso! Comente! Faça um blogueiro feliz!

Compartilhar