sexta-feira, 21 de abril de 2017

Os Smurfs e a Vila Perdida


Revi a animação Os Smurfs e a Vila Perdida (Smurfs – The Lost Village, EUA, 2017), de Kelly Asbury e mais uma vez me diverti com os personagens clássicos de Peyo. Destaco a pequena, mas engraçada cena pós créditos, que não havia me atentado na primeira assistida. Ela faz uma piada ótima com os dubladores...

O grande trunfo do filme é ter transformado a Smurfette na personagem principal. Ela não está contente por perceber que todos os homens do vilarejo dos Smurfs têm uma função precisa na comunidade, menos ela. Indignada, ela parte em busca de novas descobertas, e conhece uma Floresta Encantada, com diversas criaturas mágicas. Enquanto isso, o vilão Gargamel segue os seus passos.

A primeira cena na vila dos Smurfs, com a quebra da quarta parede é muito boa, fazendo parecer um documentário e já colocando a Smurfette como protagonista. O vilão animado, me parece mais coerente que o Gargamel anterior interpretado por Hank Azaria. Aliás, esse é outro acerto da animação, excluir personagens reais do universo. Filme merece ser visto e revisto. E o 3D realmente é desnecessário.

O roteiro da animação é bem construído, entendemos para onde os personagens estão indo e o motivo que o levaram a isso. A solução não é gratuita, e o filme ainda consegue emocionar. Visual muito bem elaborado, trilha sonora pertinente. Talvez a melhor animação do ano até aqui.

Veja o trailer de Os Smurfs e a Vila Perdida:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Isso! Comente! Faça um blogueiro feliz!

Compartilhar