quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Uma visão cristã sobre Interestelar



Vi Interestelar uma segunda vez, desta feita em Imax e fiquei ainda mais impressionado com a grandeza do filme. A humanidade sempre procurou entender os mistérios acerca da Criação. Alguns conseguem ter fé o suficiente para acreditar que tudo foi formado a partir de uma explosão, o Big Ben. Eu creio no que está registrado nas Sagradas Escrituras, no livro do Gênesis que afirma que no princípio criou Deus os céus e a terra. Sim sou um criacionista, mas não labuto contra a ciência, pelo contrário, ela muitas vezes deixa claro que há um design inteligente, ou um Deus Criador. De fato, existem teorias que fazem um contraponto ao Evolucionismo. Leiam mais sobre isso aqui.
É impossível compreendermos plenamente acerca das coisas divinas. De fato, existem coisas ocultas em Deus e no mundo espiritual, realidades que os seres humanos desconhecem. De modo geral, as pessoas deste mundo, mesmo sábios e entendidos, desconhecem os mistérios ocultos de Deus. Deuteronômio 29:29 diz que "As coisas encobertas pertencem ao Senhor, o nosso Deus". Santo Agostinho, falando acerca da revelação divina dizia que o homem só tem acesso ao conhecimento quando iluminado por Deus. Christopher Nolan estava iluminado ao dirigir este longa, mas a bíblia declara em I Coríntios 2:9 que "Olho nenhum viu, ouvido nenhum ouviu, mente nenhuma imaginou o que Deus preparou para aqueles que o amam"
Não é fácil explicar complicadas teorias astrofísicas para espectadores leigos. Nolan até que consegue abordar com maestria a Teoria da Relatividade estudada por Einstein e mais recentemente pelo físico Kip Thorne, que não à toa foi um dos produtores executivos e também atuou como consultor do filme, isso foi uma jogada de mestre. Paulo escreveu aos Coríntios que "Quem não tem o Espírito não aceita as coisas que vêm do Espírito de Deus, pois lhe são loucura; e não é capaz de entendê-las, porque elas são discernidas espiritualmente." I Coríntios 2:14 Então, de repente o filme nos apresenta as pesquisas de Thorne na prática, nos apresentando buracos negros, buracos de minhoca, deformações de tempo e ondas gravitacionais... Tudo de forma crível... Só pode ser ação do Espírito Santo!!!
Vendo o filme com o olhar de um cristão, percebemos inflências cristãs desde o princípio do longa, quando a história nos remete as pragas egípcias, pois o planeta está sendo atacado por uma série de "pragas" que eliminou boa parte das espécies vegetais (eles citam trigo e quiabo) e até mesmo de alguns animais do planeta Terra. Restou para a sobrevivência humana, o cultivo do milho cujo florescimento está ameaçado pela existência de tempestades de areia na atmosfera terrestre.
O longa se passa em algum ponto de um suposto futuro apocalíptico bem próximo, em algum lugar dos Estados Unidos, talvez o Texas. O mundo estaria chegando ao fim. Não sabemos quão perto a Terra está da destruição, mas ela é iminente. Como não há expectativa de possibilidade de salvar o planeta, então a última geração deste planeta precisaria encontrar um novo planeta para que a raça humana pudesse continuar a existir. Neste contexto, as operações da agência espacial se tornaram ultra-secretas, afinal não se pode financiar a exploração espacial quando as pessoas estão passando fome na Terra. Essa é a fala do excelente Michael Caine, quando encontra Cooper, que misteriosamente, encontra ou é enviado por "eles" para o local, é a Lei de Murphy, que preza que o que tiver que acontecer, acontecerá.
Assim, a única alternativa de salvação seria a mudança para outro planeta que tivesse as condições de continuidade da vida humana. A partir daí é que tem início uma aventura colossal empreendida por um grupo de astronautas pelos confins do universo. A cena da decolagem partindo da base secreta da NASA é de tirar o fôlego. Aliado a isto, temos a referência bíblica que dá nome a expedição: Missão Lázaro (personagem que foi ressuscitado por Jesus, narrada em João 11) Esta é a 13ª nave, após 12 naves terem sido enviadas para anunciar o evangelho explorar 12 planetas... Seria um ide espacial?
Cooper (Matthew McConaughey) me lembra Jesus. Ele deixou sua glória de ser astronauta e habitou entre nós, como um humilde carpinteiro fazendeiro. De início ele reluta em ter que deixar sua família, mas ele acha que partir para o espaço é a única forma de salvar a humanidade. Já a dra. Brand (Anne Hathaway), ao incluir o amor como uma variável científica, que a induz a escolher um determinado planeta onde fora enviado a pessoa a quem ela amava, em detrimento de outro, me faz gostar ainda mais do filme.
A questão do tempo, seja ele o cronos (tempo do homem) ou kairós (tempo de Deus) também é representado de forma interessante no filme. A bíblia diz em II Pedro 3:8 que para o Senhor um dia é como mil anos, e mil anos como um dia. Vemos isto claramente no filme, quando alguns minutos num planeta, representam anos na Terra. A cena quemostra a 5º dimensão é extraordinária, pois podemos ter uma ideia de como Deus nos vê. Sabemos que Deus é onisciente (sabe todas as coisas), onipotente (tem todo poder) e é onipresente (está em todos os lugares), conforme o Salmo 139.
Quanto ao final do filme, fico a indagar, e se o arrebatamento, não for como está descrito em filmes como Apocalipse (Left Behind, 2014)? A bíblia fala claramente em diversas passagens sobre novos céus e nova Terra. Segue alguns: "Pois vejam! Criarei novos céus e nova terra, e as coisas passadas não serão lembradas. Jamais virão à mente!" Isaías 65:17. "Assim como os novos céus e a nova terra que vou criar serão duradouros diante de mim", declara o Senhor, "assim serão dura­douros os descendentes de vocês e o seu nome. Isaías 66:22 Todavia, de acordo com a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, onde habita a justiça. II Pedro 3:13. Então vi novos céus e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra tinham passado; e o mar já não existia. Apocalipse 21:1
No planeta onde a dra. Brad e o Cooper vão habitar, não lembro de ter visto mar... Mas não levem isto ao pé da letra.. Não estou aqui querendo colocar Interestelar dentro da Bíblia, mas um filme que nos consegue fazzer pensar em diversos assuntos ligados com o Cristianismo, é no mínimo interessante. E como diz no poster, a humanidade nasceu na Terra, mas seu destino nunca foi morrer aqui.

Um comentário:

  1. Ok... O filme direciona para um criador, ou criadores. Mas ligar isso a bíblia ou as mitologias nela contidas não dá. Respeito alguns pontos de vista de gnósticos, mas crer piamente nas escrituras é infantilidade.

    ResponderExcluir

Isso! Comente! Faça um blogueiro feliz!

Compartilhar