quinta-feira, 31 de maio de 2018

Não Se Aceitam Devoluções


Comédia dramática Não Se Aceitam Devoluções (Brasil, 2018) de André Moraes é a versão brasileira do filme mexicano Não Aceitamos Devoluções (No se Aceptan Devoluciones, 2013), de Eugenio Derbez, que já teve inclusive uma excelente versão francesa Uma Família de Dois (Demain tout commence, 2017) de Hugo Gélin e uma versão na Turquia que não ancorou por aqui. Por mais que se conheça a história, ela ainda diverte e emociona, apesar do Leandro Hassum.

No filme, conhecemos o mulherengo Juca Valente (Leandro Hassum) que é dono de um quiosque no Guarujá, litoral de São Paulo e só quer saber de diversão. Eterno namorador, ele detesta grandes responsabilidades e não pensa em ter nada sério com ninguém, principalmente filhos. No entanto, sua vida toma um rumo totalmente diferente quando uma ex-namorada americana Brenda, larga um bebê com ele e desaparece. Juca então parte para os Estados Unidos na intenção de devolver a criança, sem imaginar que começaria a gostar da ideia de ser pai.

Involuntariamente, ele começa a trabalhar como dublê em Los Angeles e passa a se esforçar para dar a melhor infância possível para a sua filha Emma (Manuela Kfouri). Depois de sete anos, a mãe reaparece com a sua companheira para pedir a guarda da criança. O julgamento ocorre e a história segue para seu clímax, que quem já viu o filme original já conhece, mas ainda assim se emociona.

O filme tem alguns problemas nas cenas que requerem efeitos especiais, como o salto na piscina, a moto sobre os ônibus, a até a participação bizarra de um sósia de Ozzy Osbourne. Me parece que o filme também tem problemas de ritmo e roteiro, diferente do original e da versão francesa, que são bem ritmados. A fotografia deixa a desejar também, utilizando muitos closes e não mostrando tanto cenário. Os atores também não se destacam, deixando a desejar no quesito carisma.

Confira o trailer de Não Se Aceitam Devoluções:


Gnomeu e Julieta - O Mistério do Jardim



Animação Gnomeu e Julieta - O Mistério do Jardim (Sherlock Gnomes, Estados Unidos, 2017) de John Stevenson é a continuação de Gnomeu e Julieta (Gnomeo and Juliet, 2011) de Kelly Asbury, sendo que enquanto a primeira apresenta a história shakesperiana de Romeu e Julieta para crianças, esta introduz o clássico de Arthur Conan Doyle, Shelock Holmes, com o detetive e seu assistente no mundo dos anões de jardins.

Os adorados gnomos de jardim Gnomeu e Julieta estão de volta para uma aventura totalmente nova em Londres. Quando os dois chegam à capital inglesa com seus amigos e família, a maior preocupação da dupla é preparar seu novo jardim para a primavera. Porém, eles logo descobrem que alguém está raptando gnomos por toda a cidade.

Gnomeu tenta agradar Julieta com uma orquídea de jardim, lembrando o clima romântico do primeiro filme, mas após fracassar numa tentativa de roubo e ser resgatado numa fuga desastrada, ambos retornam para casa e descobrem que todos anões do seu jardim estão desaparecidos – existindo somente um nome a recorrer… Sherlock Gnomes, o famoso detetive e protetor dos gnomos de jardim de Londres chega para investigar o caso, junto com seu inseparável companheiro Watson. O mistério levará todos a uma aventura exuberante, onde encontrarão muitos ornamentos novos e explorarão um lado desconhecido da cidade.

A trilha sonora de Elton John (produtor do filme), que é o destaque do primeiro filme, está de volta. A dublagem nacional usa dubladores, tornando a experiência melhor que a anterior, que contou com atores famosos dublando o casal principal.

O filme conta com um vilão bem construído, o Moriaty, além de uma simbólica introdução na mente de Sherlock Holmes, com um uso adequado de animação em 2D, na busca por desvendar os enigmas que vão surgindo nessa caçada pelos gnomos desaparecidos. Assim esta aventura cumpre seu papel de divertir, com boas piadas, agradando crianças e adultos por sua criatividade e bom humor.

Veja trailer de Gnomeu e Julieta - O Mistério do Jardim:


quarta-feira, 30 de maio de 2018

Alguém Como Eu


Comédia romântica Alguém Como Eu (Brasil, Portugal, 2017) de Leonel Vieira, produzida por brasileiros e portugueses tem uma história de amor rala da busca de amor, passando pelos desafios da vida conjugal, introduzindo superficialmente uma neura que flerta com relacionamento de pessoas do mesmo sexo, mas com o freio de mão puxado, sendo algo desnecessário ao filme.


Na trama, conhecemos Helena (Paolla Oliveira), uma jovem e bem-sucedida mulher de 30 anos, que toma uma decisão radical depois de várias decepções amorosas: viver em Lisboa, solteira e independente. Porém, Helena não controla o destino e dá de cara com uma nova paixão, Alex (Ricardo Pereira). Mas, se a princípio as coisas parecem perfeitas, com o passar do tempo ela está estagnada em mais uma relação rotineira. O problema é quando Helena deseja que Alex se torne um pouco mais parecido com ela e algo inesperado acontece: quando ela olha para ele, vê a figura de uma bela mulher. Seu desejo foi atendido, porém não da forma que ela imaginava, assim seus devaneios se torna mais um obstáculo na relação.

O filme até que começa bem ao apresentar uma carioca bem sucedida que decide ir pra Lisboa após não ter sorte no amor. Em tempos onde coxinhas abandonam o Brasil o tempo inteiro, o filme mostra como uma brasileira pode se dar bem na turística capital portuguesa. Mas quando o roteiro foca no relacionamento amoroso se perde com intrigas banais de um roteiro capenga, enfatizando uma mensagem machista de que as mulheres são de fato exigentes demais e nunca estão satisfeitas. Destaca-se a bela fotografia com imagens belíssimas tanto do Rio quanto de Lisboa.

Segue trailer de Alguém Como Eu:

domingo, 27 de maio de 2018

3ª etapa do XIV CCO


Neste 27 de maio de 2018, cerca de 200 atletas participaram da 3ª etapa do XIV CCO, realizada na comunidade da Barra em Horizonte. Fomos para o local na véspera, eu, Adriel, Sâmia, Sara e Luca Izahel.

Tive o privilégio de ser o Gestor de Segurança da etapa, e ajudar nos intensos trabalhos de organizar uma prova de orientação. Fui umas quatro vezes na área da de prova, atentando especialmente para os cuidados necessários para a segurança dos atletas.

Nesse fim de semana, pernoitamos no local de prova, alojados na escola Lourenço Pereira dos Santos já preparando todos os detalhes do evento.

Os prismas já haviam sido todos colocados na véspera, bem como as devidas sinalizações de segurança. Aos poucos os atletas foram chegando e a festa deu seu início. Após execução do hino nacional, as informações técnicas foram repassadas e foi dada a largada dos primeiros atletas.

Tive então a oportunidade de acompanhar um grupo de crianças HN2 na pista e transmitimos alguns conhecimentos e ajudamos os futuros atletas. Em seguida fiquei na área de prova observando a movimentação dos atletas. Tudo transcorreu normalmente.

Após a chegada de boa parte dos atletas, foi servida uma deliciosa feijoada. Após o término da prova, fomos desmontar o percurso e tive a oportunidade de navegar e localizar alguns pontos de elite. O bom de trabalhar numa prova de orientação, é que seu aprendizado avança consideravelmente.

Já no fim da tarde do domingo, retornamos para casa. Fadigados, mas com a sensação de dever cumprido. Foi um fim de semana esplendoroso.


quinta-feira, 24 de maio de 2018

Liberação de Recursos para construção de cisternas para abastecimento de água


Na tarde desse dia 24 de maio, estive no Palácio da Abolição prestigiando a cerimônia de liberação de recursos para construção de cisternas para abastecimento de água.

O evento contou com a presença do governador Camilo Santana, do ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, do secretário do Desenvolvimento Agrário, Francisco de Assis Diniz, lideranças políticas locais e nacionais, além de representantes de famílias do Interior que serão beneficiadas.

Camilo Santana ressaltou que a previsão é de que, com os recursos liberados, cerca de 21 mil cisternas sejam construídas – número a ser confirmado após estudos dos custos e da proposta colocada pelas entidades envolvidas. Para o governador, este será um passo importante no plano do Governo do Ceará de garantir o acesso a fontes d’água em todo o Estado.
“Essa liberação aqui hoje vai nos permitir algo em torno de 20 mil novas cisternas. Para universalizar o acesso à água no Ceará, deve ser necessário em torno de 80 a 85 mil cisternas de placas. Queremos fortalecer esse planejamento a médio prazo, para nos tornarmos o primeiro estado brasileiro a universalizar essa política de abastecimento para a população”, afirmou.

Durante o evento, Camilo lembrou que o Ceará foi o único estado nordestino em 2017 a reduzir a pobreza extrema, com diminuição de 3,57%, segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgada na última terça-feira.

“Sei que vivemos um momento difícil no Brasil. Crise econômica, momento difícil na política brasileira, o Ceará enfrentando anos e anos de seca. Mas fiquei muito feliz porque o Ceará foi o único estado do Nordeste brasileiro, um dos cinco do Brasil, que conseguiu em 2017 comparado com 2016, continuar reduzindo a extrema pobreza. Isso é fruto dos investimentos, da lógica de priorizar as políticas para o homem do campo. Em nenhum momento, nesses últimos anos, o Estado deixou de investir em diversos programas. Isso que faz a gente reduzir, esse é o grande sentido da gestão pública: acolher aqueles que mais precisam”.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

O Processo


Documentário sobre o Golpe de 2016, O Processo (Brasil, Alemanha, 2017) de Maria Augusta Ramos premiado em festivais internacionais, oferece um olhar sincero pelos bastidores do julgamento que culminou no impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff em 31 de agosto de 2016, testemunhando a profunda crise política e o colapso das instituições democráticas no país que realizaram uma farsa para destituir a presidente democraticamente eleita.

O documentário acompanha a crise política que afeta o Brasil desde 2013 sem nenhum tipo de abordagem direta, como entrevistas ou intervenções nos acontecimentos. A diretora Maria Augusta Ramos passou meses no Planalto e no Congresso Nacional captando imagens sobre votações e discussões que culminaram com o golpe parlamentar que destituiu a presidenta Dilma do cargo máximo de nosso país, como retaliação pelas medidas contrárias a grandes nomes do poder.

Enquanto vimos no cinema e em séries de TV, obras como Polícia Federal - A Lei é Para Todos e O Mecanismo, produzidas por investidores beneficiados pelo Golpe, aqui temos uma obra de cinema legítima, que foi contemplada com o World Cinema Fund, do festival de Berlim, sendo assim uma obra imparcial, que expõe o que houve na realidade, onde só um cego não consegue enxergar a realidade.

O filme acompanha a história real, desde a aceitação da denúncia contra Dilma por crime de responsabilidade pelo então presidente da Câmara, Eduardo Cunha, em 2 de dezembro de 2015, até sua condenação e consequente cassação pelo Senado, em 31 de agosto de 2016. As filmagens alternam registros de eventos públicos que foram transmitidos pela TV e gravações no formato “mosca na parede” da escola do Cinema Direto, capturando momentos de seus protagonistas à quente, seja em ação ou em breves pausas. O foco da câmera estão principalmente nos senadores petistas Gleisi Hoffman e Lindbergh Farias e no ex-ministro da Justiça e advogado de defesa José Eduardo Cardozo, mas quem rouba a cena do cinismo é a coadjuvante Janaína Paschoal, advogada que foi uma das autoras da denúncia, que surge sempre em registros caricatos, sejam em intervalos privados, ou em momentos espontâneos que reiteram literalmente a farsa que foi esse Impeachment. 

O filme expõe as consequências da Operação Lava Jato, a queda de Eduardo Cunha, e principalmente o “grande pacto nacional, com o Supremo, com tudo”, deixando claro o papel de Aécio Neves, a pressão de Michel Temer na compra de votos dos congressistas, que em nome da família, da esposa, do cachorro, do papagaio, de torturadores e do time de futebol votaram pela abertura do processo. Todos esses episódios são mostrados em tela, em ordem cronológica e com letreiros informativos.

As melhores cenas do registro documental, são realizadas no teatral julgamento, que mostra inclusive as articulações e desabafos nos gabinetes de Gleisi, Lindbergh e Cardozo. A cena que mostra a gravação da entrevista de Dilma a correspondentes estrangeiros é um belo registro, deixando claro como o mundo viu as peripécias dos golpistas e ficou estupefato diante de uma presidente condenada sem provas. O clímax, está no desabafo sincero e autocrítico feito pelo ex-ministro Gilberto Carvalho, diante dos senadores petistas, expondo os grandes erros do governo PT, que foi deixar de ouvir as lideranças sociais, para atender aos anseios das raposas políticas que usurparam o poder e destituíram Dilma.

O documentário é um tanto quanto longo, mas necessário para o registro histórico. Apesar de muita falação, envolvendo termos técnicos, o filme não fica restrito a histeria coletiva das ruas ou na condenação prévia da mídia hegemônica, que foi uma das grandes responsáveis pelo golpe, formando a chamada opinião pública. O filme se centra então nos corredores do Senado, escutando ambos os lados das discurssões, vendo as equipes discutirem embargos infringentes, metas orçamentárias, emendas parlamentares, ajustes fiscais, porcentagens, datas, interpretações de leis, até a afirmação da denunciante de que Dilma cairia pela vontade das ruas, e não pelas leis que deturparam para destituir o cargo de presidente, ficando claro que do ponto de vista jurídico, não houve crime de responsabilidade e, portanto, não houve motivo para o impeachment, evocando a obra de Franz Kafka, no qual o personagem principal também é condenado sem crimes, num julgamento orquestrado e sem possibilidade de defesa justa.

Escolhido pelo público como o melhor documentário na mostra Panorama, no 68º Festival de Berlim. Vencedor do prêmio de melhor longa-metragem internacional no Festival Documenta Madri 2018, Vencedor do grande prêmio na categoria de longas-metragens no Festival Internacional de Documentários da SuíçaEscolhido como melhor longa-metragem pelo público e pelo Júri Silvestre, no festival de cinema português IndieLisboa. A obra fez parte também da seleção oficial do festival É Tudo Verdade (2018). Importante registro histórico sobre o Golpe de 2016.

Veja trailer de O Processo:

terça-feira, 22 de maio de 2018

Fortaleza 2 x 0 Criciúma - Série B 2018


Na noite dessa terça-feira, 22 de maio de 2018 fui com a Júlia Marcelino e o Pedro Sahel para mais um jogo do Fortaleza na Série B 2018, conferir mais uma vitória tricolor, que rendeu ao time a liderança isolada da competição com 19 pontos.

A partida foi realizada as 21:30h. Trabalhei até as 20:00h e fui pegar as crianças para irmos ao estádio. Lá chegando, estacionamos na rua da árvore e fomos caminhando até a bilheteria pegar a gratuidade do Sahel. Só então adentramos ao estádio no Portão I, em direção a área chamada Bossa Nova, de onde nunca gostei de acompanhar jogos, devido o senta e levanta constante.

A partida não foi das melhores, talvez tenha sido a pior do Fortaleza nesta competição, certamente devido ao cansaço do jogo anterior na sexta. Mas ainda assim várias oportunidades foram criadas e após bela jogada de Jean Patrick, a bola foi alçada na área e Gustavo cabeceou para as redes já aos 13 minutos. O Fortaleza continuou mandando no jogo, chegando a 70% de posse de bola no primeiro tempo. No segundo tempo, o Criciúma melhorou seu desempenho, pressionou o Leão, mas uma providencial queda de energia dos refletores impediu a reação do time catarinense. Em seguida, uma bobeira da zaga permitiu que Leonan ampliasse o marcador e desse números finais ao jogo.

Veja os melhores momentos de Fortaleza 2 x 0 Criciúma:


Reveja os gols da partida:


FICHA TÉCNICA:
FORTALEZA 2 X 0 CRICIÚMA
FORTALEZA - Marcelo Boeck; Tinga, Ligger, Diego Jussani e Bruno Melo; Jean Patrick, Felipe (Igor Henrique), Edinho, Dodô (Leonan) e Marlon; Gustavo (Wilson). Técnico:Rogério Ceni.
CRICIÚMA - Luiz; Cristian, Fábio Ferreira e Nino; Natan (Zé Carlos), Liel, Eduardo, Elvis e Enzo (Luiz Fernando); João Paulo e Mailson (Nicolas). Técnico: Mazola Júnior.
GOLS - Gustavo, aos 13 minutos do primeiro tempo. Leonan, aos 47 minutos do segundo tempo.
ÁRBITRO - Alexandre Vargas Tavares de Jesus (RJ).
CARTÕES AMARELOS - Diego Jussani e Marlon (Fortaleza); Mailson e João Paulo (Criciúma).
CARTÃO VERMELHO - Alex Maranhão (Criciúma).
RENDA - R$ 146.658,00.
PÚBLICO - 17.348 pagantes.
LOCAL - Arena Castelão, em Fortaleza (CE).

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Eu Só Posso Imaginar


Drama cristão Eu Só Posso Imaginar (I Can Only Imagine, 2018) de Andrew Erwin e Jon Erwin apresenta a emocionante história real do vocalista da banda de rock cristão MercyMe, Bart Millard que culminou na gravação da clássica canção I Can Only Imagine que se tornou uma das música mais tocadas nas rádios, tendo conquistado dois Dove Awards em 2002, um na categoria "Pop/Contemporary Recorded Song of the Year" e outro na categoria "Song of the Year". Millard também ganhou na categoria "Songwriter of the Year" na mesma cerimônia.


O filme apresenta a trajetória de vida de Bart Millard (J. Michael Finley) vocalista da banda de rock cristã Mercy Me, que durante a infância teve um relacionamento conturbado com seu pai Arthur (Dennis Quaid), que sempre o maltratou e nunca entendeu seu amor pela música, até a composição da renomada canção I Can Only Imagine da banda de MercyMe, que oferece esperança para muitas pessoas em momentos desafiadores da vida. Surpreendentemente, a canção foi escrita em poucos minutos pelo vocalista da banda, mas sua criação abrange toda uma vida.


O roteiro de Alex Cramer, Jon Erwin e Brent McCorkle (que também responde pela trilha sonora do filme) é consistente, sem ser apelativo, deixando o filme sempre num ritmo agradável. De início, estamos num momento crucial, quando Bart fala sobre sua canção para a cantora Amy Grant (a rainha do pop cristão, interpretada por Nicole DuPort), num estúdio, é quando voltamos à 1985, na infância do futuro vocalista, para vermos o sonhador que ele sempre foi, tendo que lidar com a violência e truculência de seu genitor, sempre encontrado apoio nas fitas que ouvia em seu walkman.

As brigas conjugais de seus pais eram constantes, de modo que sua mãe decidiu fugir e mandou o filho para um acampamento cristão, para não testemunhar sua partida, que pode ser considerada tanto um abandono do filho, embora seja literalmente uma fuga da relação com marido. A cena ao som de Into the Heart do U2 é cativante. No acampamento, Bart conhece o amor da sua vida, Shannon (Madeline Carrol, na versão adulta) que no final do retiro dos adolescentes, lhe presenteia com a fita do album Never Alone de Amy Grant. No futuro, vemos que a conversão de Bart ocorrera nesse acampamento de jovens da Igreja Batista de Greenville, Texas.

Temos uma passagem de tempo, e vamos para 1991, onde conhecemos o jovem Bart (Brody Rose), dedicado a seguir uma carreira no futebol americano, como seu pai tentara anos atrás. Apesar das críticas que recebe do pai, ele se esforça para ser um bom atleta, mas sofre uma lesão que o impossibilita de jogar futebol novamente. É quando no colegial, por falta de opções, ele opta em entrar para a área musical, por gostar de mexer nos aparelhos, especialmente nos toca fitas. No entanto, a professora de música (Priscilla Shirer) percebe o dom do rapaz para a música e coloca para estrelar um musical da escola.

É nesse período que a relação de Bart com o pai se complica de vez. As agressões do pai abusivo se intensificam, mas agora ele é confrontado pelo filho que se distancia do convívio com seu pai, perseguindo o sonho de cantar e usando sua dor como inspiração para desenvolver suas canções, conforme orientação de Brickell (Trace Adkins) produtor da banda. Bart começa a se destacar na área musical, enquanto seu pai descobre um câncer, mas se julga forte o suficiente para enfrentá-lo. A relação de Bart com Shannon fica comprometida e Bart foge para Nashville, onde conhece os demais integrantes do MercyMe e entra para a banda.

A rotina de uma banda antes do sucesso é muito bem mostrada no filme, com os integrantes vivendo em função de pequenos eventos em diversas cidades. Num dos shows, eles conhecem Michael W. Smith nos bastidores, fruto do trabalho do produtor em tentar engrenar a banda. A decepção ao ouvir das gravadoras que eles não teriam chances de vender, fazem com que as críticas que Bart ouvia do pai retornem com força, é quando ele decide voltar as suas origens e enfrentar seus traumas e medos. Nesta missão, o artista reencontra o amor, e é surpreendido por ensinamentos de fé, que irão ajudá-lo a perdoar seu pai e a confiar plenamente num Deus que pode restaurar vidas.

A letra de I Can Only Imagine é muito linda, e a história sob a qual ela foi forjada é repleta de ensinamentos valorosos. Finalmente um filme cristão que não busca conversão de forma forçada, mas que apresenta a história de um homem comum, que compôs algo extraordinário certamente conduzido pelo Espírito Santo.

As lágrimas rolaram no rosto com facilidade, de poder ver uma linda história de esperança, restauração, perdão tão bem contada numa sala de cinema. O filme merece destaque não só pelo grande público que atraiu nos cinemas americanos, mas por ser abrangente, podendo emocionar não apenas o nicho cristão. Certamente será o grande filme do ano na opinião deste que vos escreve.

Segue trailers dublado de Eu Só Posso Imaginar:




Veja clipe da canção do MercyMe I Can Only Imagine:


No Brasil, a canção já tinha sido regravada por outros artistas como Chris Duran, Gisele Di Mene e Eduardo & Silvana. Agora, Ana Paula Valadão foi convidada para representar oficialmente a composição, na versão Diante do Trono que foi exibida antes do filme. Confira:


Fechamento de balanço do Agropolos


Nesse início do ano de 2018, o Financeiro do Agropolos tem se dedicado ao fechamento do Balanço Contábil do exercício 2017, o que tem demandado uma série de atividades extraordinárias de toda equipe.

Temos trabalhado até após o expediente, e sempre saciados com tapiocas, pães, sopas, crepiocas, consumês, pizzas. Tem um período de árduo trabalho, mas sempre com o sorriso no rosto da equipe que tem se empenhado na conclusão da atividade.

domingo, 20 de maio de 2018

Testando Percurso H Adulto B da 3ª etapa do CCO 2018


Na manhã deste 20 de maio de 2018, fui com o Josias Cavalcanti, o João Torres, o Jouderian, o Ricardo Diogo e o Hemerson testar os percursos da 3ª etapa do CCO 2018.

Apesar de ser um percuso médio, o traçado elaborado pelo Josias está muito técnico, exigindo muita navegação inclusive de quem esteve visitando os pontos na colocação das etiquetas.

Está quase tudo pronto para termos uma grande etapa no próximo dia 27 de maio.

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Tradição 2018


O Fortaleza Esporte Clube está comemorando 100 anos de existência, e o Marketing do Clube está realizando uma série de ações, envolvendo os torcedores nessa grande festa.

Hoje, fui agraciado com uma camisa Tradição 2018, numa promoção lançada nas redes sociais do clube com a hasttag #40MilEuAcredito. Eu postei uma foto deitado numa rede na comunidade da Barra em Horizonte, com o ingresso do jogo Fortaleza x Goiás.

Doando plaquetas


Nesta manhã de 18 de maio, fui no Hemoce doar sangue, e fui requisitado para doar plaquetas e salvar vidas. É sempre bom desempenhar o papel de super herói!

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Deadpool 2


Comédia de ação Deadpool 2 (Estados Unidos, 2017) de David Leitch retorna com o personagem em uma aventura descompromissada, mas que diverte com as tiradas do antiherói tagarela na busca de vingança pela morte de sua namorada, ele se vê forçado a pensar em amizade, família e o que realmente significa ser um herói.

Quando o super soldado Cable (Josh Brolin) chega em uma missão para assassinar o jovem mutante Russel (Julian Dennison), o mercenário Deadpool (Ryan Reynolds) precisa aprender o que é ser herói de verdade para salvá-lo. Para isso, ele recruta seu velho amigo Colossus e forma o novo grupo X-Force, sempre com o apoio do fiel escudeiro Dopinder (Karan Soni).

A zoação começa está presente na cena de abertura, nos créditos iniciais que fazem uma paródia às aberturas dos filmes do 007, até as cenas pós créditos, que apesar de uma delas invalidar tudo que foi mostrado no filme, diverte com as tiradas cômicas envolvendo Reynolds e até Deadpool tentando organizar a linha do tempo dos filmes dos X-Men. O bom do filme, continua sendo quando o personagem-título dispara citações e provocações à cultura pop, e a filmes de franquias "concorrentes".

Por mais que o roteiro tente colocar como pano de fundo questões em torno do preconceito, como é tradição nos filmes dos X-Men, e brincar sobre ser ou não um filme família, percebe-se claramente a fragilidade da trama. Levar Deadpool na mansão Xavier é um acerto, mas o tom pitoresco ressurge o tempo todo, não sendo possível levar o filme à sério...

Veja trailer dublado de Deadpool 2:

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Verdade ou Desafio


Terror adolescente Verdade ou Desafio (Truth or Dare, Estados Unidos, 2017) de Jeff Wadlow tenta emular os clássicos filmes de suspense da década de 90, mas fracassa ao apresentar uma história boba, com personagens banais que são assombrados por uma presença sobrenatural após jogarem o jogo de 'verdade ou consequência'.

Produzido pela Blumhouse, o longa apresenta Olivia (Lucy Hale) e seu grupo de amigos vão de férias para o México e são convencidos a brincar de "Verdade ou Desafio", em um prédio em ruínas, pelo misterioso Carter (Landon Liboiron). Ao passar a maldição para os recém-conhecidos, Carter alerta o grupo sobre os riscos e regras do jogo, mas não é levado a sério até que essa presença demoníaca começa a assombrar os participantes - encurralados em uma trama de chantagens e perigos que parece conduzi-los a uma única saída: a morte.

O público comum, não simpatiza com as bobagens vividas pelos adolescentes no filme, que se leva a sério, tornando-o risível. Os desafios que os jovens propõem uns aos outros são ridículos. É difícil acreditar que o roteiro foi escrito há 8 mãos... Certamente eles estavam embriagados quando escreveram o filme, que usa clichês ultrapassados e preconceituosos de americanos mimados que aprontam no exterior... 

Após escrever a verdade, posso lançar um desafio? Melhor seria ver um filme de terror, dos nadadores americanos que vieram competir as olimpíadas 2016 no Rio e foram parar na delegacia após aprontarem num posto de gasolina.

Veja o trailer de Verdade ou Desafio:

Vovó leva Izahel ao Karatê

A imagem pode conter: 1 pessoa, criança e área interna



Enquanto os pais trabalham, vovó Sâmia leva ele pro Karatê

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Jantar do dia das Mães com o GR


Neste domingo, após o culto dominical, nosso GR foi até a Picanha do Irami comer pizza em comemoração ao dias das mães que se encerrava. Foi mais um momento de comunhão inesperado, daqueles que ocorrem após o término do culto. As pizzas de frango com mussarela, calabresa e peito de peru estavam uma delícia!

domingo, 13 de maio de 2018

Minha mãe e a mãe dos meus filhos!


Neste dias das mães, pude presentear duas mães maravilhosas: Minha mãe e a mãe dos meus filhos! Comprei para elas brincos e cordões que a deixam ainda mais lindas e maravilhosas. Tenho o privilégio de ser filho da Dona Sâmia, essa mulher batalhadora e guerreira que sempre fez de tudo pelos seus filhos.


Também tive o privilégio de colaborar na maternidade da Mariana, que gerou nossos dois filhos lindos e maravilhosos. Eles fizeram as honras de presenteá-la declarando o amor deles por ela. Que todas as mães tenham sempre dias fantásticos, repletos de amor, carinho e sentimento.

sábado, 12 de maio de 2018

Fortaleza 3 x 0 Goiás - Série B 2018


Neste 12 de maio, véspera do dia das mães, estive com a família em mais um jogo do Fortaleza pela Série B 2018, acompanhado com a Julia.



Com o apoio da torcida, o Leão somou mais três pontos e reassumiu a liderança da competição. Destaco a forte presença de famílias, inclusive muitas crianças.


Os quase 33 mil torcedores presentes fizeram uma linda festa, com direito a um belíssimo mosaico em movimento que encantou a todos. Veja trecho do mosaico:


Desde os primeiros minutos o Fortaleza tomou conta das ações. Com muita intensidade no ataque, o Leão pressionava o rival e criava as melhores oportunidades. Porém os gols só aconteceram no segundo tempo, marcados por Ligger, Gustavo e Dodô. Os dois primeiros em bolas alçadas na área e o terceiro numa bela finalização de fora da área.

O domínio tricolor pode ser atestado quando se analisa os números do confronto. O time de Ceni teve 55% de posse de bola e acertou 91% dos passes. Após o fim do jogo, o atacante Osvaldo foi até a torcida para se despedir. O jogador vai deixar o Fortaleza para atuar no futebol da Tailândia. 

Segue gols da partida:


Segue vídeo da TV Leão dos bastidores da partida:



FICHA TÉCNICA
SÉRIE B 2018
Fortaleza 3 -
4-3-3: Boeck; Tinga, Jussani, Ligger e Bruno Melo; Derley, Jean Patrick (I. Henrique) e Dodô; Osvaldo (Marlon), Gustavo e Edinho. Técnico: Rogério Ceni.
Goiás 0 -
4-3-3: M. Rangel; Alex Silva, David Duarte, Eduardo Brock e Breno; Madson, Gilberto Jr. (Pedro Bambu) e Giovanni; Carlos Eduardo, Lucão (Michael) e Tiago Luís (Rafinha). Técnico: Ney Franco.
GOLS
1min/2T - Ligger acerta cabeçada após cobrança de falta de Edinho18min/2T -Dodô cobra escanteio e Gustavo marca de cabeça44min/2T -Dodô recebe de Igor Henrique e bate de primeira para fechar o placar.
Local - Castelão, em Fortaleza-CE
Data - 12/5/2018
Horário - 19 horas
Árbitro - Felipe Gomes da Silva (PR)
Assistentes - Pedro Martinelli Christino (PR) e Luiz H Souza Santos Renesto (PR)
Cartão amarelo: Eduardo Brock
Público pagante: 31.582
Renda: R$ 439.643,00 

Cuidando da segurança dos atletas na 3ª etapa do CCO



Neste 12 de maio, estive mais uma vez na área de prova da 3ª etapa do Campeonato Cearense de Orientação, para cuidar da segurança dos atletas, melhorando as condições de algumas trilhas, especialmente aquelas que serão percorridas por atletas novatos.

Fui com o traçador de percurso Josias Cavalcanti e o mapeador Marden que foram dar continuidade ao trabalho de etiquetar os pontos de Alfa e Elite. Eu fiquei acompanhando o Francisco, da comunidade, que nos apoiou nos serviços de limpeza, retirada de espinhos e de tocos visando a segurança dos atletas.

Em nossos percursos, nos deparamos com uma jararaca (serpente venenosa), que foi imediatamente retirada de ação, diminuindo o risco ao qual os atletas estarão expostos. Ao voltarmos, fui à procura dos etiquetadores, mas não os encontrei, mesmo rondando as áreas mais difíceis do mapa. em seguida, voltei para o ponto de encontro, onde fui servido por um lauto almoço e fiquei numa rede aguardando os companheiros.

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Feliz Dia Das Mães Agropolos!

Neste 11 de maio de 2018, os colaboradores do Instituto Agropolos do Ceará estiveram reunidos para celebrar uma justa e honrosa homenagem as mães que trabalham na Sede da entidade. Com lágrimas de emoção, ouvimos lindos depoimentos de mães vitoriosas, filhos e filhas batalhadoras, e me veio o seguinte sentimento: o Agropolos é uma mãe! Não no sentido pejorativo da expressão, mas de fato, trabalho numa empresa que cuida dos seus, tal qual uma mãe anela por seus filhos. Logo, como é costumeiro de uma mãe, o Instituto tratou de preparar um farto café da manhã para os filhos seus...


Nesse sentido, a mãe Agropolos, é aquela que nos dá mesada, comida e um teto (tudo fruto de nosso salário!). Tal qual uma mãe, a empresa define os horários para sair e voltar para casa, escolhe caminhos que devemos percorrer e define o que podemos ou não fazer, afinal, uma mãe é responsável pelo seu filho e responde por ele em qualquer tipo de situação até que ele esteja apto a fazer as próprias escolhas...

Para nós que somos filhos dessa mãe, temos uma posição de conforto, quase um colo, pois percebo que somos sempre tratados com muito amor e carinho. Assim como em qualquer relacionamento mãe x filho(a), uma crise de rebeldia pode até ser deflagrada, como acontece na adolescência... E é nessa hora que um aumento na mesada (salário), uma roupa nova (cargo), uma boa conversa (feedback) ou até mesmo umas palmadas (chamada de atenção) fazem tudo voltar ao normal...


Agropolos, Feliz Dia Das Mães!

Segue vídeo do momento em que as mães abriam seus envelopes:

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Exorcismos e Demônios


Terror dos mesmos produtores de Invocação do Mal (The Conjuring, 2013) de James Wan e Anabelle (2014) de John R. Leonetti Exorcismos e Demônios (The Crucifixion, Estados Unidos, 2016) de Xavier Gens apresenta uma história baseada em fatos reais de uma série de eventos ocorridos na Romênia em 2004, investigados por uma jornalista, mas sem a mesma qualidade que os filmes produzidos anteriormente.


Um padre é sentenciado à prisão após a morte de uma freira durante um exorcismo e Nicole Rawlins (Sophie Cookson) uma jornalista investiga se ele assassinou uma pessoa mentalmente doente ou se apenas perdeu uma batalha contra uma presença demoníaca. O início do filme é interessante, quando Nicole pede ao seu editor-chefe Philip (Jeff Rawle) a viabilização de sua partida de Nova York para a Romênia, a fim de desvendar a verdade sobre o caso.

No entanto, o filme se mostra desinteressante, ao apresentar situações que a investigada viveu na vida da investigadora. Os encontros de Nicole com habitantes do vilarejo aos poucos se tornam simplórios, até a virada, quando começam os sustos. Assim, o filme fracassa tanto em passar uma mensagem de conversão religiosa, quanto na condenação do ateísmo, que no filme é tratado como fraqueza espiritual.

O maior susto que tomei, foi quando o funcionário do cinema me acordou após os créditos finais, pois o cochilo foi tão grande que não vi como a história foi concluída...

Segue trailer de Exorcismos e Demônios:

domingo, 6 de maio de 2018

21Km no 9º circuito de corridas Pague Menos


Na manhã deste 6 de maio de 2018, participei de minha 4ª meia maratona, sendo a terceira em Fortaleza. Fui para a arena as 5h da manhã de ônibus e por chegar cedo, ainda aproveitei para garantir alguns brindes dos patrocinadores, destaque para a barraca da Unilever, que tinha os melhores brindes (desodorante e sabonete Rexona, além de picolés da Kibon).

Guardei meus pertences no Guarda-Volume, e fui alongar para iniciar a corrida. O percurso estava muito bom, apesar de algumas áreas muito esburacadas em nossa cidade. Saímos do aterro da Praia de Iracema em direção a Av. Beira-Mar, seguindo pela  Av. Vicente de Castro, pela José Saboia até o início da Av. César Carls, onde retornamos em frente ao Mercadinho O Galego (próximo a minha residência!!!)

Na volta, contornávamos a arena de partida/chegada pela Av. Monsenhor Tabosa, descendo pela Idelfonso Albano e seguindo pela Historiador Raimundo Girão, Av. Almirante Barroso e Pessoa Anta (Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura), seguindo pela Rua Adolfo Caminha (Marina Park) até a Av. Leste-Oeste (Presidente Castelo Branco) onde íamos até o retorno da Escola de Aprendizes de Marinheiro e voltávamos.

Fiz o percurso em 2h44min. Corri bem até o Km 14, depois fui vencendo as dores até completar o percurso. Contei com algumas ajudas no trecho final, especialmente de um atleta que me cedeu um isotônico quando eu estava na ladeira no IML (na volta, quando recebi o meu isotônico no ponto de energia, pude retribuir a outro atleta) e de uma corredora, que no quilometro final me incentivou a ir até o fim.




Compartilhar